Twitter
Comparte
Vídeo Institucional
Ok
Consulte seu pedido

Seu pedido possui 0 itens

Você está em: PÁGINA INICIAL - MEDICAMENTO MANIPULADO - CUIDADOS GERAIS COM MEDICAMENTOS

MEDICAMENTO MANIPULADO

Cuidados gerais com medicamentos

Os medicamentos são recursos utilizados para obter benefícios como a cura, a prevenção, o diagnóstico de uma doença ou então o alívio de sintomas incômodos ou incapacitantes. Os benefícios esperados com sua utilização devem ser maiores do que os riscos decorrentes do seu emprego, por isto alguns cuidados e conhecimentos são fundamentais:

Ver mais    
Finalidade do medicamento
   
No alívio de sintomas

Neste grupo estão os medicamentos que atuam contra dor, febre, inflamação, tosse, coriza, vômitos, náuseas, ansiedade, insônia etc. Estes medicamentos cumprem os seus objetivos quando diminuem ou eliminam os sintomas. Isto não significa que as causas tenham sido eliminadas.

Na cura das doenças

São medicamentos que se destinam a eliminar as causas de doenças ou corrigir uma função corporal deficiente. Neste grupo estão os medicamentos como os antibióticos, por exemplo.

Na prevenção de doenças

Neste grupo estão medicamentos como vacinas, complementos vitamínicos, minerais, profiláticos da cárie, etc.

No diagnóstico

Medicamentos capazes de auxiliar no diagnóstico de doenças ou avaliação do funcionamento de órgãos. Neste grupo estão, por exemplo, os contrastes radiológicos.

Ver mais    
Riscos da automedicação
   

O uso inadequado de medicamentos, decorrente de automedicação é sempre motivo de preocupação pela elevada ocorrência de efeitos indesejados e intoxicações, que poderiam ser evitados, na grande maioria das vezes. A propaganda contribui para aumentar este problema, pois muitas vezes propõe situações de uso irracional de medicamento. É exemplo claro, o estímulo a grandes comilanças acompanhadas por medicação para facilitar a digestão. Sugere-se com isso provocar um distúrbio orgânico, visto a existência de um medicamento capaz de resolvê-lo.

O uso de medicamentos requer SEMPRE muitos cuidados. Existem casos em que tais cuidados devem ser intensificados, por serem maiores os riscos de prejuízo, como durante a gravidez, a amamentação, em crianças e pessoas idosas.

Ver mais    
Medicamentos durante a gravidez
   

A situação ideal seria aquela em que a mulher grávida não recebesse nenhum medicamento durante toda a gestação. Muitas vezes, a gravidez é acompanhada por distúrbios ou enfermidades que exigem terapia. O médico deve então avaliar meticulosamente a relação benefício-risco e decidir. No caso da necessidade a regra é usar medicamentos com informações de uso na gestação na literatura, utilizando sempre a menor dosagem e durante o menor período possível.

Medicamentos não devem ser utilizados durante a gravidez sem acompanhamento médico. Isso é válido para todo e qualquer medicamento e qualquer forma de uso, inclusive aqueles ditos isentos de efeitos indesejados e contraindicações, como por exemplo, chás de plantas medicinais, fitoterápicos, medicamentos naturais, produtos homeopáticos, etc. Alguns medicamentos aplicados sobre a pele também podem ser absorvidos, passando para a corrente sanguínea e dessa para o feto.

É importante também descartar a possibilidade da mulher estar grávida, antes de iniciar o uso de medicamentos. Com frequência, grávidas adolescentes desconhecem seu estado ou escondem a situação, utilizando neste período inicial, o mais crítico, medicamentos que podem causar sérios danos ao feto.

Ver mais    
Medicamentos durante amamentação
   

Existem muitos medicamentos que passam para o leite materno, podendo causar problemas ao bebê. É o caso, por exemplo, de laxantes ingeridos pela mãe e que podem causar diarréia à criança, antibióticos, medicamentos contra vômitos, tranquilizantes, etc. Deve-se atentar ao fato de que os bebês não são tão capazes como os adultos de metabolizar e eliminar os medicamentos ingeridos, já que as funções do fígado e dos rins não estão ainda totalmente desenvolvidas.

Nem sempre estão bem definidos quais são todos estes medicamentos e o que podem provocar. Por essas razões, também durante a amamentação, deve-se evitar o uso de medicamentos, fazendo-o somente quando necessário e sob acompanhamento médico.

Ver mais    
Medicamentos para crianças
   

Os medicamentos podem atuar de forma diferente em crianças e adultos, devido às contínuas alterações de peso e composição corporal associadas ao crescimento. Comumente, as doses de medicamentos para crianças são obtidas de uma maneira simplificada, dividindo-se as doses adequadas para adultos, de acordo com o peso, idade ou área de superfície corporal das crianças. Muitas vezes, esta prática não é segura nem satisfatória, pois uma criança não é um adulto em miniatura. Por isso, a criança não deve ser medicada sem acompanhamento médico. As intoxicações de crianças, inclusive com muitos casos fatais, são também frequentes em consequência da ingestão acidental de medicamentos deixados ao seu alcance.

Ver mais    
Medicamentos para idosos
   

A ocorrência de efeitos indesejados dos medicamentos é mais frequente em pessoas idosas, pois com o envelhecimento é comum o aparecimento de perturbações múltiplas, sendo necessária à utilização de diversos medicamentos concomitantemente. Com isso, aumenta a probabilidade de ocorrerem efeitos indesejados e interações medicamentosas (é o que ocorre quando um medicamento modifica a atividade de outro)

Com o envelhecimento ocorrem mudanças no organismo como, por exemplo, alterações das atividades dos rins e do fígado, tornando mais difícil prever os efeitos dos medicamentos. Isso pode modificar o tempo de permanência dos medicamentos no organismo.

Com o envelhecimento, devido a problemas de memória, são frequentes os erros nas doses e horários do uso de medicamentos.

Em pessoas idosas com problemas de visão é comum a confusão de medicamentos semelhantes quanto a forma, aspecto ou cor.

Para diminuir a incidência dos problemas de medicação em idosos, as pessoas que convivem com eles devem ajudar:

Pessoas com problemas de memória: um quadro afixado em lugar visível indicando, de maneira simples e clara, os medicamentos em uso, as doses, horário e modo de usar.

Etiquetas com letras grandes para facilitar a visualização

Acompanhamento na consulta médica para idosos com problemas de audição

Uma alternativa interessante é solicitar acompanhamento de um farmacêutico, que além de orientar para o uso correto do medicamento prescrito poderá organizar os medicamentos de forma a facilitar a administração, evitando erros e confusões, bem como identificar a ocorrência de efeitos indesejáveis e reações adversas e acompanhar os resultados terapêuticos.

Ver mais    
Como guardar medicamentos
   

Medicamentos são constituídos de uma ou mais substâncias químicas que podem sofrer alterações a ponto de perder o efeito ou mudar sua composição oferecendo risco a saúde. É fundamental escolher um local adequado para armazenar os medicamentos para garantir sua estabilidade química e seu estado de conservação até o uso: Proteger da luz, calor e umidade, observando os demais cuidados contidos na embalagem, como por exemplo, à necessidade de colocar na geladeira; o armário do banheiro ou cozinha não são locais adequados para guardar medicamentos; manter sempre a embalagem fechada adequadamente; manter em local fora do acesso das crianças.

Em eventual reutilização, cuidar quanto ao prazo de validade e quanto ao aspecto (integridade,depósitos,manchas nas cápsulas etc.).

Ver mais    
Dez Dicas de cuidados
   

1.Não tome remédios sem o conhecimento do médico. Para aliviar sintomas passageiros, antes de tomar qualquer medicamento, converse com o seu farmacêutico;

2.Não tome remédios recomendados para outras pessoas;

3.Siga rigorosamente o tratamento prescrito pelo médico, não troque horários, não altere as doses, não reduza ou aumente o tempo do tratamento. Não tome duas doses juntas quando se esquecer de tomar no horário anterior;

4.Não abandone o tratamento sem falar com o médico. Não repita tratamentos anteriores sem consultar. Informe ao médico a ocorrência de efeitos colaterais bem como sobre os resultados do tratamento;

5.Não misture outros remédios, mesmo plantas medicinais, sem falar com o médico. Não tome bebidas alcoólicas durante o tratamento;

6.Certifique-se quanto ao uso do medicamento junto com as refeições ou entre as mesmas pois o alimento pode interferir na ação de muitos medicamentos, inclusive anulando seu efeito;

7.Não tome medicamentos com sucos, refrigerantes, leite e outros. Tomar medicamentos com água é mais seguro, de preferência um copo cheio. Não tome medicamento deitado;

8.Não retire os medicamentos da embalagem original para não perder sua identificação e estabilidade;

9.Não utilize plantas medicinais desconhecidas e nunca compre ervas para chá sem procedência legalmente controlada;

10.Havendo suspeita de gravidez durante o tratamento com qualquer medicamento informe imediatamente ao médico.

Anterior Próximo
USO INDICADO - Farmácia de Manipulação
Rua Voluntários da Pátria, 1050
CEP: 96015-730 | Centro - Pelotas - RS
Telefone: (53) 3225 2221 | Email: usoindicado@usoindicado.com.br